CAMPEONATO MUNDIAL: Brasil vence a Rússia e passa em primeiro para próxima fase

53476_t1

O confronto não valia a classificação. Afinal, Brasil e Rússia já entraram em quadra garantidos na terceira fase do Campeonato Mundial masculino de vôlei. Mas, valia a invencibilidade. E, neste domingo (14.09), melhor para a seleção verde e amarela, que venceu por 3 sets a 1 (25/21, 24/26, 25/19 e 25/19), em 1h50, na Spodek Arena, em Katowice (Polônia), e passou para a terceira fase como líder do Grupo F, e único time sem sofrer nenhuma derrota.

Os adversários dos dois jogos da próxima fase serão conhecidos apenas ao fim da rodada deste domingo. As nove vitórias representam uma boa campanha neste Mundial, em especial esta sobre a Rússia, considerado um dos maiores adversários da seleção brasileira no momento. Mas, o jogo rendeu algumas preocupações para Bernardinho e sua comissão técnica. O oposto Wallace caiu no segundo set, sentiu o tornozelo e precisou ser substituído; o central Sidão sentiu o joelho e o ponteiro Murilo, a coxa.

O médico da seleção, Álvaro Chamecki, passa as primeiras impressões sobre os jogadores, mas explica que respostas mais concretas apenas nesta segunda-feira (15.09), quando Sidão e Murilo farão exames.

“O Wallace teve um entorse no tornozelo direito, mas não parece nada muito grave. O problema é que o tempo até o próximo jogo é curto. Vamos começar o tratamento com fisioterapia e medicação para ver como vai evoluir. O Sidão já vinha com uma dor no joelho direito e hoje sentiu um pouquinho mais forte. Amanhã, vamos fazer um exame por precaução para ver se houve ruptura parcial do tendão, mas, a princípio, não parece preocupante. O Murilo sentiu uma fisgada na coxa direita e precisamos de um exame de imagem para saber se tem lesão muscular e se vamos conseguir colocá-lo em condição de jogo”, disse Chamceki.

Fora da lista de preocupações, o oposto Leandro Vissotto entrou no lugar de Wallace e foi o maior pontuador da partida, com 15 acertos (12 de ataque e três de bloqueio).

“Ganhar um jogo como esse, contra a Rússia, dá moral ao nosso time, já que o caminho é longo. Ao mesmo tempo, não podemos achar que porque ganhamos essa partida, está tudo resolvido. Ainda temos outros importantes jogos pela frente e temos que manter o foco e a cabeça serena. A partir de agora começa a parte mais difícil do campeonato e temos que manter o bom ritmo que tivemos nas primeiras fases”, explicou Vissotto.

Com nove pontos de saque, o Brasil teve uma grande atuação neste fundamento. O levantador Bruninho foi responsável por três deles, e, de forma consciente, arriscou sempre que pôde.

“Sabíamos que era um jogo onde precisávamos forçar o saque, já que, com a bola na mão, seria complicado de parar o ataque deles. Já vínhamos trabalhando esse fundamento e hoje funcionou bem. Espero que nosso saque seja ainda melhor daqui para frente”, comentou Bruno.

Até então, a seleção dirigida pelo técnico Bernardinho venceu, na primeira fase, a Alemanha, a Tunísia e a Finlândia, por 3 sets a 0, a Coréia do Sul por 3 a 2, e a seleção de Cuba, por 3 a 1. Já na segunda etapa do Mundial, a equipe verde e amarela bateu Bulgária, China e Canadá, por 3 sets a 0.

O JOGO

O primeiro ponto do jogo foi russo, mas o Brasil virou e, com dois pontos de saque de Bruninho, 3/1. A equipe verde e amarela se manteve na frente, com essa vantagem, em 5/3. E, no ace de Lucão, 6/3. Com mais um grande saque, desta vez de Wallace, o placar foi para 8/5. O time brasileiro aumentou a diferença no placar e, com dois pontos consecutivos de saque de Sidão, foi para 13/7. No erro do adversário, 14/7. Com mais um ponto de saque de Bruninho, o jogo foi para 16/8. O Brasil seguiu bem, administrando o placar (19/13), mas, quando os russos diminuíram a vantagem brasileira (19/15), Bernardinho pediu tempo. A Rússia deu trabalho no final do set, mas o Brasil voltou a pontuar e fechou em 25/21.

A seleção brasileira saiu na frente no segundo set e, em boa passagem de Bruno pelo saque, fez 4/1. Neste momento, a Rússia parou o jogo. O time verde e amarelo seguiu na frente (7/5). Com Murilo, o time aumentou a vantagem no marcador para 10/7. Quando o jogo estava 13/12 para o Brasil, Wallace caiu de mau jeito e foi substituído por Vissotto. Depois de bom saque de Lucarelli, o set foi para 16/13. Os russos chegaram ao empate em 18 pontos e Vissotto colocou o Brasil na frente novamente. Depois de grande lance de defesa, a equipe verde e amarela fez 21/19. Com o central Muserskiy no saque, a Rússia, então, chegou de novo ao empate (21/21) e virou em 22/21. Novo empate em 23 pontos. E os russos fecharam somente em 26/24.

O Brasil voltou bem e logo fez 4/1 no terceiro set. No eficiente saque de Lucarelli, a seleção brasileira voltou a pontuar. Com ponto de bloqueio triplo, a equipe de Bernardinho abriu cinco de vantagem (15/10) e, na sequência, no erro do adversário, 16/10. Contando com erros de saque da seleção da Rússia, o time verde e amarelo chegou a ter tranquilidade no set em 18/11. O Brasil manteve o bom ritmo e, sem permitir qualquer reação da seleção adversária, fechou o terceiro set em 25/19.

A equipe verde e amarela começou o quarto set com Éder no lugar de Sidão, além de Vissotto, que já havia entrado quando Wallace machucou. Com Lucarelli, o Brasil chegou a 6/4. Quando a equipe brasileira marcou 11/7, a Rússia pediu tempo. No bloqueio de Vissotto, 12/7. O segundo tempo técnico foi de vantagem para a seleção de Bernardinho, que fez 16/11. Em boa passagem de Éder pelo saque, o Brasil chegou a 19/14 r s Rússia pediu tempo. Mas o bloqueio brasileiro voltou a funcionar e o placar foi para 20/14.

EQUIPES

BRASIL – Bruno, Wallace, Sidão, Lucão, Lucarelli e Murilo. Líberos – Mário Jr. e Felipe

Entraram – Lipe, Vissotto, Raphael, Éder

Técnico: Bernardinho

RÚSSIA – Apalikov, Grankin, Spiridonov, Musersky, Ilinykh e Moroz. Líbero – Golubev

Entraram – Volvich, Makarov, Savin, Biriukov

Técnico: Andrey Voronkov
TABELA – Primeira fase:

01.09 – Brasil 3 x 0 Alemanha (25/21, 25/19 e 25/17)

03.09 – Brasil 3 x 0 Tunísia (25/18, 25/10 e 25/17)

05.09 – Brasil 3 x 0 Finlândia (27/25, 25/21 e 26/24)

06.09 – Brasil 3 x 2 Coréia do Sul (21/15, 25/13, 25/21, 17/25 e 15/13)

07.09 – Brasil 3 x 1 Cuba (22/25, 25/23, 25/18 e 25/17)

TABELA – Segunda fase:

10.09 – Brasil 3 x 0 Bulgária (25/15, 25/21 e 25/21)

11.09 – Brasil 3 x 0 China (25/14, 25/23 e 25/18)

13.09 – Brasil 3 x 0 Canadá (25/19, 25/23 e 29/27)

14.09 – Brasil 3 x 1 Rússia (25/21, 24/26, 25/19 e 25/19)

Be the first to comment

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: